quarta-feira, 25 de julho de 2012

Acabei de tirar a tua foto da minha mesinha da cabeceira e guardei-a, assim como guardei também todos papeis das viagens de camioneta que fiz para ir ter contigo e assim como todas as nossas memorias. Agora tudo o que tenho teu são recordações do que um tivemos... Agora tudo o que me vem à cabeça são os nossos corpos encostados, os teus beijos intensos, o teu colo confortável, todas as brincadeiras parvas, as maratonas de series que fazíamos, as chamadas até de madrugada a falar sobre todos os projetos que tinhas e que eu não sei muito bem onde os perdeste, as correrias no corredor de tua casa, o olhar apaixonado que possuías... E tantas coisas mais que agora me lavam a cara em lágrimas por não passarem de mais nada, para além de recordações. Deixo agora para trás tudo o que fiz por nós, tudo o que planeei para o nosso futuro. Agora é cada um por si, por muito complicado que seja... Eu amo-te, e até desfazer esta palavra em pedacinhos vou precisar de curar primeiro a ferida que fizeste no meu coração. Lembrar-me-ei de ti sempre com um sorriso e muita saudade. Pode ser que um dia voltes, afinal, foste sempre tu que acreditaste em nós.

3 comentários:

  1. O texto está bonito.
    Agora força miúda!

    ResponderEliminar
  2. Oh Cris, eu sei como é complicado e como custa... Muita força*

    ResponderEliminar
  3. Obrigada, estou a precisar de muita força!

    ResponderEliminar

deita cá para fora! ♥