domingo, 22 de maio de 2011

Minha querida e amada estrela,

Peço imensa desculpa por ontem não te ter lido a história de boa noite, mas viste as lindas horas que cheguei, e com o sono que estava, nem me despedi direito de ti! Desculpa.

Reparei que ontem à noite (quando me tentei despedir decentemente de ti, mas sem sucesso) estavas com um brilho especial, eu conheço bem esse brilho, menina estrelita! Cá para mim andas de olho num asteróide que te anda a tocar devagarinho… Já te conheço de cor, minha rica estrela. Hás-de me apresentar esse esteroidezinho, para ver se está aprovado ou não. Já sabes, eu sou tramada, minha amiga!

Queria aproveitar, já que me lembrei de tentar remediar o erro de ontem à noite não te ter contado a história do “era uma vez (…) para sempre”, para te contar que o meu solzinho terrestre está cada vez mais impossível! Ontem estava todo coração para mim e eu, obviamente, ficava mais derretida que a manteiga quando vai ao microondas! E é assim, minha estrelinha, vou ficando doida e sem saber o que fazer. E é por isso, também, que gosto tanto de ti, porque ouves e calas, e deves ser a única, ou das poucas, que não me dá nas orelhas. Limitaste a ouvir, a brilhar e automaticamente sei que dizes: vai em frente.

Prometo que logo à noite, mal acabar de comer a minha sopinha e tomar o meu banhinho, estarei na minha varanda para te contar a historia desta noite e as novidades mais recentes.

Adoro-te companheira.
Da tua amiga que te fala baixinho.

17 comentários:

deita cá para fora! ♥